Day: 6 de junho de 2019

Diferentes formas de ingressar em uma universidade brasileira

O ensino superior continua sendo uma das melhores alternativas quando se pensa em uma carreira promissora e de sucesso. O Brasil é o país com maior retorno salarial para quem tem ensino superior completo quando comparamos os dados dos 36 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Segundo a Síntese de Indicadores Sociais 2018 do IBGE uma pessoa com diploma de faculdade no País ganhava, na época do levantamento, 2,5 vezes mais do que alguém com ensino médio, enquanto nos países da OCDE a média de ganho dos graduados era 1,6 vezes maior em relação a quem concluiu o ensino médio.

E para ingressar em uma universidade, hoje, os estudantes tem diferentes opções que abrem oportunidades para o ensino superior. A mais tradicional delas é o vestibular, mas existem outras que não são consideradas tradicionais, que vão desde considerar o histórico escolar do ensino médio até utilizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Conheçam alguns deles:

Vestibular – Prova realizada pelas universidades duas vezes por ano, tem data, hora e local específicos para acontecer e pode ser aplicada em mais de uma fase. Começam a despontar também algumas iniciativas de vestibular online, no qual os interessados em entrar no ensino superior fazem a mesma prova que fariam presencialmente, só que em um ambiente online.

Enem – Não é vestibular, mas é como se fosse. O Exame é aplicado anualmente em todo o país, mas sem que os alunos precisem escolher um curso para fazer as provas, como acontece no vestibular tradicional. A prova do Enem surgiu como uma forma de avaliação da educação do Ensino Médio no Brasil e acabou se tornando uma das formas de ingresso mais populares nas faculdades. A nota vale para todas as instituições do país que aderiram ao exame, o que torna a mesma prova um passe para muitas faculdades. Para faculdades públicas, a nota do Enem é classificatória para o ingresso por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Esse sistema distribui os candidatos nas vagas disponíveis na instituição escolhida pelos alunos.

Avaliação Seriada – é um tipo de avaliação composto por uma série de provas aplicadas nos três anos do ensino médio. Os testes abordam os conteúdos estudados naquele período. Normalmente esses exames de conhecimento são compostos por questões de múltipla escolha, por questões dissertativas e por uma redação. No terceiro ano, o estudante opta pelo curso que deseja fazer no ensino superior. A média das notas obtidas nos três anos de provas e calculada pela instituição é transformada em pontos que determinam a classificação dos candidatos.

Análise de Histórico Escolar – É uma forma de processo seletivo em que as notas do aluno nas disciplinas cursadas durante o ensino médio são determinantes para a sua avaliação de desempenho. Muitas vezes essa modalidade é conciliada com uma prova de vestibular. Pelo menos 103 instituições de ensino superior no Brasil utilizam a análise de histórico escolar. Esse processo considera as notas do aluno durante o ensino médio em todas as disciplinas.

Vestibular Agendado – Recurso utilizado especialmente em faculdades particulares, as provas agendadas permitem ao aluno realizar o processo seletivo na data mais adequada para ele. Esse tipo de ingresso pode ser feito para os cursos em geral da instituição ou apenas quando ainda há vagas remanescentes para uma determinada graduação.

Nessa modalidade de ingresso, o estudante marca data e horário para realizar o vestibular. Nesse caso, são cobrados os mesmos conteúdos de um vestibular regular. A diferença é que, normalmente, o resultado sai mais rápido – em muitos casos, até no dia seguinte. Para evitar fraudes no processo seletivo, as instituições diversificam os modelos de prova para vestibular agendado.

Provas de Habilidades Específicas – A partir da escolha do curso, essa modalidade de ingresso submete os vestibulandos a uma prova específica de aptidão. Para a graduação de Arquitetura, por exemplo, pode haver um teste de habilidades em desenho e, para o curso de Educação Física, testes físicos. Essa modalidade também é muito frequente – para não dizer inerente – a cursos como o de Música, no qual são exigidas dos candidatos ao curso de graduação habilidades desenvolvidas em teoria e prática musical.

Vagas Remanescentes – Muitas faculdades particulares criam processos seletivos para vagas remanescentes após a matrícula dos aprovados. A realização dessa forma de processo seletivo costuma ocorrer entre os meses de dezembro e fevereiro, período no qual as faculdades encerram as chamadas dos aprovados em seus vestibulares oficiais.

Transferência – Essa forma de ingresso cabe para quem já cursa o ensino superior e quer entrar em outra faculdade sem passar mais uma vez por um processo seletivo. Nesses casos é preciso abrir um pedido de transferência entre instituições de ensino e reaproveitar as matérias cursadas.

Entrevista – Processo seletivo adotado por algumas faculdades privadas, a entrevista presencial às vezes é combinada à prática de redação ou torna-se complementar a uma prova de vestibular. De acordo com o Guia do Estudante, sete instituições de ensino superior utilizam esse modelo no País atualmente.

Referência: ANUP

 

clique aqui.

DIVERSIDADE É CHAVE PARA INOVAR NO ENSINO SUPERIOR; TEMA SERÁ DEBATIDO EM CONGRESSO EM BH

 

Três em cada quatro matrículas de estudantes no ensino superior em Minas são em instituições privadas. Assim, as faculdades têm se preocupado cada vez mais com iniciativas inovadoras que reconhecem a diversidade da sociedade e permitem que públicos distintos tenham acesso às salas de aula. Esse é o mote do 12º Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular, que acontece nos próximos três dias, pela primeira vez, em Belo Horizonte.

Voltado não só a profissionais, mas a pessoas que atuam na área, o evento contará com especialistas que irão mostrar como perfis diferentes de estudantes e professores são importantes para trazer propostas novas e gerar retorno à qualidade da educação.

É o que explica o secretário executivo do Fórum e diretor presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Celso Niskier. “Há estatísticas no mundo demonstrando que, quanto maior a diversidade nas organizações e nas culturas, maior a taxa de inovação. Nós apostamos na inovação e nas tecnologias que estão surgindo e mudando a educação”, diz.

Dentre os assuntos debatidos estão estratégias para atrair novos graduandos e até mesmo meios de fazer com que a universidade seja mais acessível, por exemplo, a pessoas com mais de 35 anos, que representam 39% dos matriculados na modalidade a distância.

“Essa é uma preocupação das Instituições de Ensino Superior (IES). Esse público deve ter acesso e condições de continuar estudando. Vamos conhecer, por exemplo, o caso de uma faculdade referência em diversidade étnica”, afirmou o professor.

Serviço 
Cerca de 500 pessoas devem participar do congresso, que acontece no Hotel Ouro Minas e está com as últimas vagas para inscrição. Amanhã, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, participa da solenidade de abertura na capital mineira.

Na sexta-feira, servidores da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), do ministério, atenderão os representantes das IES. O objetivo é aproximar gestores das instituições com a diretoria da pasta.

Mais de 45 palestrantes, educadores e representantes do serviço público vão orientar painéis e workshops. A programação completa está no site cbesp.com.br.

 
 
Fonte: ABMES 

SISU- Até o segundo dia de inscrições, Medicina, Direito e Administração são os cursos mais procurados

Luciano Marques, do Portal MEC

Em dois dias, 452 mil candidatos se inscreveram no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Medicina é o curso mais procurado, com 138.432 pedidos. Em seguida, aparecem Direito (53.614) e Administração (41.156). O balanço contabiliza os números de meia-noite de terça-feira, 4 de junho, até as 15 horas de quarta, 5.

Dos três cursos mais procurados, apenas Administração não está entre os mais concorridos. O curso de Medicina tem o maior número de alunos por vaga, 95,73, enquanto Psicologia registra 42,04 alunos por vaga. Direito e Odontologia vêm logo em seguida, com 36,75 e 36,51, respectivamente.

Administração fica fora dos mais concorridos porque é o curso com maior número de vagas ofertadas em todo o país: 1.996. Entram na mesma situação Pedagogia (1.989 ) e Ciências Biológicas (1.748).

Os estados com mais vagas disponíveis são Rio de Janeiro (12.937), Minas Gerais (8.479), Bahia (6.745) e Paraíba (5.990).

Como o sistema permite que os estudantes escolham mais de uma opção de curso, já foram realizadas um total de 856.053 inscrições. No segundo semestre de 2018, no mesmo período, o número registrado era de 632.786, ou seja, 32,2% a menos.

A edição do segundo semestre de 2019 tem a maior oferta de cursos, vagas e de instituições participantes da última década. São 59.028, 1.731 e 76 em todo o país, respectivamente. O prazo segue até as 23h59 de 7 de junho. Os interessados devem acessar o site do Sisu.

O resultado da chamada regular sai em 10 de junho. As matrículas devem ser realizadas de 12 a 17 de junho. O prazo para manifestar interesse na lista de espera é de 11 a 17 de junho. A convocação ocorre após o dia 19.

Clique aqui

Fonte: portal.mec.gov.br